logo

Paixão pela Inovação. Compromisso com os Doentes.

Daiichi Sankyo Portugal, Lda.

História Europeia

2014

A Daiichi Sankyo adquire a companhia biofarmacêutica Ambit Biosciences. Na nossa unidade de produção alemã em Pfaffenhofen, próximo de Munique, um novo edifício para Investigação Farmacêutica é inaugurado, proporcionando aos 100 colaboradores que ali trabalham 5000 metros quadrados de instalações ‘state-of-the-art.

2013

A Daiichi Sankyo apresenta no congresso da ESC em Amesterdão os resultados do ensaio de fase III Hokusai-VTE com o seu inibidor oral do fator Xa em dose única diária, o edoxaban. Poucos meses depois, anuncia os resultados do estudo ENGAGE AF-TIMI 48, um ensaio global de fase III na prevenção do AVC e de eventos trombo-embólicos em doentes com fibrilhação auricular.

2011

Após o grande sismo e o tsunami no Japão, a Daiichi Sankyo Europe oferece todo o apoio possível aos seus colegas no Japão.

A companhia lança igualmente uma iniciativa de ajuda designada “Daiichi Sankyo Children Aid”, destinada a levar auxílio às crianças japonesas seriamente afetadas pela tragédia.

2010

Nos anos que se seguiram, a Daiichi Sankyo prosseguiu a sua estratégia de crescimento através da abertura de novas afiliadas na Irlanda e na Turquia – o mercado farmacêutico de crescimento mais rápido na Europa. Além disso, a empresa aumentou substancialmente a capacidade da sua força de vendas através da aquisição das equipas de Informação Médica da Merck Serono, em França, na Alemanha, na Irlanda, em Itália e na Turquia. Desta forma, o número de colaboradores na Europa cresceu de cerca de 1.700 em 2007 para quase 2.500 em 2010.

2009

Um novo antiagregante plaquetário para evitar a ocorrência de perturbações trombóticas, o Efient®, é lançado em diversos países europeus e também nos Estados Unidos, com a marca Effient™. Este fármaco, cujo ingrediente ativo é o prasugrel, tem enorme potencial de sucesso.

Na Europa, a empresa reforçou substancialmente a capacidade da sua força de vendas através da aquisição das equipas de Informação Médica da Merck Serono na Irlanda e em Itália.

2008

Para reforçar a sua carteira de produtos na área da oncologia, a Daiichi Sankyo adquire a empresa biotecnológica U3 Pharma localizada em Martinsried, na Alemanha. 

A aquisição de 63,92% do maior fabricante de produtos farmacêuticos na Índia, a Ranbaxy, constitui o momento marcante da implementação do “Modelo Híbrido de Negócio" desenvolvido pela Daiichi Sankyo.

Para ampliar o seu portfólio de produtos, a Daiichi Sankyo prosseguiu a sua estratégia de crescimento na Europa adquirindo licenças, como foi o caso do Evista®, medicamento para a osteoporose (raloxifeno) cedido pela Eli Lilly & Cª. , e com a abertura de novas afiliadas em Istambul e Dublin.

Além disso, a empresa aumentou substancialmente a capacidade da sua força de vendas através da aquisição das equipas altamente qualificadas de Informação Médica da Merck Serono, em França, na Alemanha, na Irlanda e na Turquia. 

2007

Foram realizados novos investimentos de enorme relevância no centro de produção alemão em Pfaffenhofen, com ampliação das instalações 'state-of-the-art', inauguradas em 2007.

2006

Estabelecimento da Daiichi Sankyo Europe como sede europeia da empresa em 1 de Julho de 2006, integrando a atividade empresarial existente no Reino Unido e na Alemanha.

2005

A Sankyo e a Daiichi fundem-se dando origem a uma companhia única designada Daiichi Sankyo Company, Limited.

2002

A Sankyo lança o olmesartan, um produto estratégico global para o tratamento da hipertensão. O Olmesartan está comercializado na Europa com a marca Olmetec®, e como Benicar® nos Estados Unidos.

Para continuar a expandir a presença europeia da empresa, em 2002 a Sankyo adquiriu os Laboratórios Fornet, com sede em Paris, entrando assim também no mercado francês, um dos maiores mercados farmacêuticos na Europa.

1997

Em 1997, Luitpold-Werk passa a designar-se Sankyo Pharma. 

1990

A Sankyo adquire a Luitpold-Werk e estende a sua presença à Europa e à América Latina.

1985

A Sankyo estabelece duas subsidiárias internacionais: uma em Nova York e uma em Düsseldorf, na Alemanha. Isto permite-lhe realizar ensaios clínicos no exterior, necessários para a aprovação dos novos fármacos da sua investigação. A Luitpold por sua vez cria uma subsidiária na Áustria, estendendo também a este país a sua atividade comercial.

1981

De 1981 a 1986, o estabelecimento de filiais nos Estados Unidos, Portugal e Reino Unido aumentou ainda mais a presença internacional da Luitpold. Ainda gerida pela família fundadora, a Luitpold não tinha nenhum sucessor preparado para assumir os negócios da família.

1962

A partir de 1962, a empresa também dilatou a sua presença internacional e abriu subsidiárias no Brasil, Espanha, Suíça e Itália; Foi construída uma segunda unidade de produção em Altkirch, em França. Ao tempo, as instalações de Altkirch foram consideradas das mais modernas unidades na região de Alsácia e recebeu diversas distinções pelos seus elevados padrões ambientais.

1950

No final da Segunda Guerra Mundial, a atividade esteve suspensa durante várias semanas, mas em poucos meses a Luitpold-Werk tinha conseguido superar o complexo  ambiente de trabalho do pós-guerra. Nas décadas de 50 e 60, a Luitpold instalou novos escritórios em Munique e novas instalações de produção em Pfaffenhofen.

1943

Em 1943, Munique foi bombardeada e as instalações na Zielstattstrasse foram destruídas. No entanto, a atividade prosseguiu na medida do possível e os vários departamentos mudaram-se para 10 escritórios e laboratórios provisórios espalhados por toda a cidade. Na sequência dessas mudanças, a empresa decidiu construir novas instalações de produção cerca de 60 quilómetros a norte de Munique, em Pfaffenhofen.

1942

Em 1942, o número de colaboradores aumentou para cerca de 300, apesar da grande dificuldade na obtenção de matérias-primas e da exportação estar  muito limitada.

1928

A Luitpold-Werk iniciou a sua atividade com 10 funcionários num escritório em Munique. A empresa registou um crescimento constante, o que a obrigou a várias mudanças de instalações, antes de estabelecer a sua primeira fábrica em 1928 na Zielstattstrasse, em Munique, rua onde ainda hoje se situa a sede europeia da Daiichi Sankyo. Na época em que a fábrica foi inaugurada, o número de empregados cresceu para 100. Nos primeiros anos, os produtos Luitpold, principalmente enzimas digestivas, eram ali produzidos para cerca de 50 países em todo o mundo.

1910

O Dr. Umetaro Suzuki, nomeado consultor científico da Sankyo em 1920, é responsável pela descoberta inovadora da vitamina B1, a partir de farelo de arroz. 

O seu trabalho veio a servir de base a toda a investigação posterior no campo das vitaminas. A vitamina B1 desempenha diversas funções no organismo e é indispensável ao bom funcionamento do sistema nervoso. A Sankyo disponibiliza esta vitamina com a marca Orizanin®.

As raízes da Daiichi Sankyo Europe remontam até ao tempo da Luitpold-Werk, uma companhia farmacêutica fundada em 22 de Janeiro de 1910 em Munique, na Alemanha.